O mercado da Internet das Coisas (IoT) e a indústria


IIoT-Internet das Coisas Industrial

Como especialistas em Engenharia Industrial, a SANDECH vem atuando na digitalização de ativos industriais, bem como trabalhando na implementação de soluções tecnológicas IIoT (Industrial Internet of Things) em plantas nacionais e internacionais. Reunimos aqui algumas informações sobre o cenário da IoT no mundo, provida pela empresa de consultoria de inteligência de mercado Business Insider Intelligence, e as perspectivas para o futuro da indústria.

Temas que você encontrará no texto:
História da IoT
Tendências e investimento na Internet das Coisas
Os 5 estágios da IoT
IIoT – Internet das Coisas na Indústria

História da IoT

A Internet das Coisas (IoT) existe desde 1982. Quando uma versão modificada da máquina de Coca-Cola da Carnegie Mellon University tornou-se o primeiro equipamento verdadeiramente conectado à Internet. Era capaz de reportar seu inventário e dizer aos usuários se as bebidas dentro dele estavam frias.

Na década de 1990, vários trabalhos discutiram a IoT, e o pioneiro da tecnologia britânica Kevin Ashton inventou o termo Internet das Coisas em 1999. Mas foi há poucos anos atrás que o termo viralizou e a ideia de um mundo vastamente conectado começou a se tornar uma realidade.

Tendências e investimento na Internet das Coisas

Segundo a Business Insider Intelligence, à medida que nos aproximamos de 2020, governos e empresas terão investido US $ 6 bilhões em soluções de IoT. Isso incluirá desenvolvimento de aplicativos, hardware de dispositivos, integração de sistemas, armazenamento, segurança e conectividade. Um investimento bem pago, pois a previsão de geração de riqueza está na casa de US $ 13 trilhões até 2025.

E essa visão só ampliará nos próximos anos. Espera-se mais de 22,5 bilhões de dispositivos IoT no planeta até 2021 (ou quatro para cada ser humano no planeta), acima de 6,6 bilhões de pessoas em 2016.

 

 

 

A Accenture nomeou como a “capacidade de absorção nacional” de um país(NAC) os fatores facilitadores que explicam até que ponto os países teceram a IIoT em seu tecido econômico. O modelo de classificação incorpora quatro indicadores de um país: confiabilidade bancária e financeira, educação, boa governança e uma rede saudável de fornecedores. Além disso, uma categoria de kickoff com fatores que incluem os níveis de pesquisa e desenvolvimento (P&D), a presença de empresas de alta tecnologia e o grau de habilidades tecnológicas completa a avaliação.
Ranking Países Potencial IIoT

 

Os 5 estágios da IoT

A Business Insider Intelligence divide a Internet das Coisas em cinco estágios distintos, e destaca que IoT não está nem perto de atingir todo o seu potencial, segundo sua pesquisa.

Etapa 1 – Conexão

A primeira etapa é trazer a “Internet” para as “Coisas” incorporando e instalando a conectividade com a Internet nos vários dispositivos. Isso qualifica o objeto como um dispositivo conectado. Os usuários podem começar a coletar dados sobre o uso do produto. Segundo a pesquisa da Business Insider Intelligence, 48% dos entrevistados afirmaram que suas empresas estão conectando dispositivos a estas soluções.

Etapa 2 – Gerenciamento

A segunda etapa envolve o monitoramento de dispositivos e dos dados que eles produzem. Curiosamente, 33% dos entrevistados na pesquisa do Business Insider Intelligence já integraram Conexão e Gerenciamento. Isso indica que já utilizam soluções de IoT para gerenciar seus dispositivos.

A SANDECH Engenharia já digitalizou ativos industriais em empresas nacionais e internacionais.
Fale com um especialista!

Etapa 3 – Análise

A terceira etapa envolve a análise dos dados da fase de gerenciamento, a fim de coletar insights úteis e acionáveis. Infelizmente, apenas 47% dos entrevistados da pesquisa do Business Insider Intelligence afirmaram analisar os dados que geram. Parte do problema é que os usuários lutam para entender como gerar informações úteis a partir desses dados. O motivo da dificuldade é a variedade de dispositivos IoT no mercado e a falta de um padrão universal para análise.

Estágio 4 – Interoperabilidade

O quarto estágio traz vários dispositivos conectados e permite que eles se comuniquem uns com os outros. Por exemplo, considere luzes e controles inteligentes em sua casa. Quando o controle inteligente é desbloqueado, por exemplo o portão da garagem é acionado. O sensor “avisa” para as luzes acenderem porque alguém está em casa. Neste estágio, a IoT realmente começa a falhar em alcançar seu potencial, 17% das empresas da pesquisa Business Insider Intelligence implementaram soluções IoT que conversam entre si.

Estágio 5 – Automação

O quinto e último estágio é a automação, na qual dispositivos conectados trabalham em conjunto sem a necessidade de inputs do usuário. No exemplo do controle e bloqueio de luzes inteligentes, as luzes poderiam detectar que o residente está em casa dormindo. Dessa forma, automaticamente comandar as fechaduras para travamento e outras luzes desligarem. Este nível de automação requer inteligência artificial e aprendizado de máquina.

Na pesquisa do Business Insider Intelligence, menos de 16% dos entrevistados implementaram soluções de IoT neste estágio. No entanto, espera-se que os estágios 4 e 5 se tornem mais predominantes à medida que a IoT se expande nos próximos anos.

A engenharia da SANDECH possui excelência em soluções tecnológicas para digitalização e otimização de ativos industriais. Entre em contato!

IIoT – Internet das Coisas na Indústria

A complexidade da engenharia cresceu exponencialmente, no entanto, essa complexidade não foi acompanhada por um aumento nos componentes físicos, mas em recursos de softwares mais poderosos e variados.

Por meio da IIoT (Industrial Internet of Things), a indústria otimiza seus ativos e reduz custos operacionais, além de prover ganho em produtividade.

Com a identificação de falhas em equipamentos e tempo de inatividade de máquinas, através de sensores conectados aos sistemas de controle online, torna-se possível prever situações críticas e rapidamente responder com a melhor solução, utilizando inclusive aprendizado de máquina (machine learning) para acelerar o processo de decisão.

Todo esse cenário nos apresenta um futuro próximo, onde a toda cadeia de suprimentos de uma planta industrial – máquinas, peças, insumos e estoque, serão totalmente controlados via dispositivos IIoT, tornando a competitividade entre os fabricantes cada vez mais atrelada à inovação digital e desenvolvimento de softwares específicos para a indústria.

Práticas inteligentes de engenharia podem ajudar as empresas a projetar produtos e sistemas confiáveis, inteligentes e conectados, que possibilitem a inovação face a complexidade das operações industriais.
Caso tenha interesse em implementar soluções IIoT em sua indústria, entre em contato com a SANDECH.

Leave a Reply